Confira a programação do Mês do Hip Hop

Saiba mais sobre o transplante de medula óssea
março 2, 2020
Participe do “Vem pro Triângulo – Mulheres”
março 4, 2020

Confira a programação do Mês do Hip Hop

Hoje (03) a Secretaria Municipal de Cultura promove a abertura oficial do 16° Mês do Hip Hop, que trará cerca de 900 atividades em mais de 100 pontos espalhados pela capital. O evento promove a visibilidade e a valorização do movimento Hip Hop e de sua conexão com São Paulo.

Em alusão a data de 21 de março, Dia Internacional de Luta contra o Racismo, o Mês do Hip Hop foi originalmente idealizado para ocorrer em uma semana, como dispõe a lei de sua criação. No entanto, a ampla participação de artistas e a própria importância do evento no cenário sociocultural da cidade ampliaram essa iniciativa para um mês inteiro de atividades, que, neste ano, devido ao recorde de artistas inscritos, estende-se até o mês de maio, com uma programação gratuita e descentralizada.

Sobre a abertura da comemoração

A abertura ocorre dia 03 de março, no Theatro Municipal de São Paulo, com shows de Gabi Nyarai e Laysa. Em seguida, a Beat Brasilis Orquestra convida os artistas Tássia ReisStefanie MC e Rincon Sapiência, e a crew de dança Discípulos do Ritmo faz uma apresentação. O espetáculo faz parte do projeto Novos Modernistas, que marca a reconexão do Municipal e de seu anexo, a Praça das Artes, com o caráter multicultural da cidade de São Paulo, já expresso na Semana de 1922. Aproximando o centro da periferia e a periferia do centro, o projeto leva as principais e mais inovadoras manifestações artísticas da atualidade para dentro do Theatro, que em 2019 já foi palco de uma apresentação histórica do rapper Emicida durante o Mês da Consciência Negra. O Hip Hop integra o projeto, pois permite que a periferia tenha voz e protagonismo, ultrapassando barreiras geográficas, sociais e ideológicas.

O protagonismo feminino, marcante no movimento, é destaque também na programação. Em 8 de março, Dia Internacional da Mulher, a Casa de Cultura Hip Hop Leste traz diversas apresentações de artistas, como Flora Matos e o trio Odisseia das Flores. No dia 15, Dina Di, primeira mulher que alcançou sucesso no rap brasileiro, é homenageada no Centro Cultural da Juventude – no dia 21, a rapper ganha outro tributo, desta vez na Casa de Cultura Hip Hop Sul.

Os Quatro Elementos

A programação inclui todos os quatro elementos que formam a base da cultura Hip Hop: na música, o Rap, com DJs e MCs; na dança, o Break, com os b.boys e b.girls; e nas artes visuais, o Graffiti.

Dentre os destaques de música, no universo do rap, estão os shows de Rincon Sapiência, dia 21, no Centro de Culturas Negras do Jabaquara; Flora Matos, na Casa de Cultura Vila Guilherme, dia 28; e Edi Rock, dia 28, na Casa de Cultura do Butantã.

Com o elemento do DJ, está a inédita discotecagem do rapper Thaíde, no Centro Cultural Olido, dia 13. O mesmo espaço, que desde 2019 tem se dedicado à arte urbana, Nelson Triunfo e Crew promovem, no dia 27, um baile de Hip Hop Old School, com sucessos dos anos 1970 e 1980, apresentação que integra o projeto Happy Hour Olido.

Falando em dança, Nelson Triunfo, uma das maiores referências do break no Brasil, também participa de um bate-papo na Biblioteca Mário de Andrade, no dia 17. Além disso, dançarinos de rua de toda a cidade se encontram no Largo São Bento, berço do Hip hop brasileiro, dia 28; e, ao longo de todo o mês, dez bibliotecas recebem as b.girls do projeto B.Girls Plurais – Movimento Arte Plural Perus.

Já o Graffiti, além de inúmeras oficinas e apresentações nos equipamentos da Prefeitura, o destaque ocorre no Centro Cultural Vila Itororó, onde será produzida uma obra inédita do angolano Paulo Chavonga, no dia 05. Vale ressaltar que o Museu de Arte de Rua (MAR), projeto da Secretaria Municipal de Cultura, já inaugurou um graffiti do artista Binho Ribeiro, no Largo São Bento, considerado o berço do Hip Hop nacional.

O Mês do Hip Hop também marca presença no Circuito Spcine, com exibições gratuitas, em diversas salas da Prefeitura, de dois filmes inéditos: Nóis por Nóis, de Aly Muritiba e Jandir Santin, e Arte na Cidade, de Onofre Bonesso Jr.

As atividades realizadas na região central integram as ações de promoção do Triâgulo SP, organizadas pela Secretaria Municipal de Turismo. Formado pelo perímetro que compreende o Largo São Bento, Páteo do Collegio e Largo São Francisco, o Triângulo SP é um recorte especial do Centro Histórico Paulistano.

Confira a programação completa por meio deste link.

Fonte: Prefeitura de São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *