Saiba mais sobre a doença de Lyme

Confira as vagas de emprego disponíveis para este carnaval
fevereiro 3, 2020
Participe dos cursos do Sebrae na região do Butantã
fevereiro 5, 2020

Saiba mais sobre a doença de Lyme

A doença é causada por uma bactéria chamada Borrelia burgdorferi que se encontra no carrapato e é transmitida por meio de sua picada. Ela recebeu este nome pois o seu maior número de casos ocorreu nos Estados Unidos, na cidade de Lyme, em 1997.

Sobre o carrapatos

Por conta de sua coloração, os carrapatos aderem na pele, onde podem permanecer por bastante tempo enquanto sugam o sangue do hospedeiro. Os locais preferidos do corpo humano para os carrapatos são axilas, couro cabeludo e região da virilha.

Quanto menor o carrapato, maiores são as chances de eles transmitirem a doença de Lyme, pois são mais difíceis de serem detectados. A transmissão das bactérias ocorre através da picada e invadem a corrente sanguínea, espalhando-se pelo corpo.

Fatores de risco

Tomar cuidado com viagens que forem ser feitas para regiões arborizadas e gramadas, principalmente se estas sofrem com infestações de carrapatos. Por isso, evite ficar com a pele exposta. Se detectar um carrapato aderido a você, remova-o rapidamente, mas de forma correta. Não identificar e não remover corretamente o carrapato da pele também aumentam suas chances de desenvolver doença de Lyme.

Sintomas

  • Surgimento de uma protuberância avermelhada na região em que houve picada. A erupção, denominada eritema migrans, é uma das características da doença de Lyme. Algumas pessoas desenvolvem esta erupção em mais de um lugar do corpo;
  • Sintomas gripais, como febre, calafrios, fadiga, dores no corpo e dor de cabeça pode acompanhar a erupção cutânea.

Diagnóstico

Os sinais e sintomas da doença podem parecer comuns, por isso a princípio o diagnóstico pode ser difícil de acontecer. Também são realizados testes nas erupções cutâneas presentes na pele e testes laboratoriais para identificar quaisquer outros problemas derivados da doença.

Tratamento

É feito a partir de antibióticos que pode ser ministrado tanto de forma oral quanto intravenosa, em doses que deverão ser decididas pelo médico. Por isso, é importante ter cuidados extras com o local em que existe a probabilidade de ter carrapatos e ter um diagnóstico preventivo quando surgir os sintomas da doença.

Fonte: Minha Vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *