[SAÚDE] Saiba mais sobre a psoríase, doença inflamatória crônica que acomete 1,31% das pessoas

SVMA promove oficinas participativas para a população sobre áreas verdes
novembro 8, 2019
Conheça o Programa Municipal de Linguagem Simples
novembro 12, 2019

[SAÚDE] Saiba mais sobre a psoríase, doença inflamatória crônica que acomete 1,31% das pessoas

No Brasil, segundo dados de uma pesquisa realizada em 2017 pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), a psoríase acomete 1,31% das pessoas, sendo mais prevalente no Sul e no Sudeste, possivelmente por conta de menor irradiação solar e da maior ascendência europeia nessas regiões.

Causa da doença

A causa da psoríase ainda é desconhecida e embora exista uma predisposição familiar, não é necessariamente transmitida aos descendentes. Os locais mais atingidos são o couro cabeludo, cotovelos, joelhos, palmas das mãos, plantas dos pés, unhas e tronco, com lesões em ambos os lados do corpo. A doença atinge homens e mulheres em qualquer idade e está sujeita a melhoras dos sintomas e recaídas, relacionadas a diversos fatores, inclusive emocionais.

Tratamento e evolução da doença

A psoríase é uma doença de evolução crônica e não há como preveni-la, sendo possível controlar sua reincidência. O tratamento procura principalmente reduzir o número e a gravidade das lesões e vai depender das características do paciente.

Os medicamentos utilizados podem ser tópicos (para passar no corpo) ou sistêmicos (devem ser ingeridos). Casos leves e moderados (cerca de 80%) podem ser controlados com o uso de medicação local, hidratação da pele e exposição ao sol. É importante salientar que qualquer tratamento deve ser feito sob rigorosa orientação médica, de forma persistente, sendo necessário, em alguns casos, suporte psicológico para uma melhor adaptação ao impacto provocado pela doença.

Tipos de psoríase

  • Psoríase Vulgar: lesões de tamanhos variados, delimitadas e avermelhadas, com escamas secas, aderentes, prateadas ou acinzentadas que surgem no couro cabeludo, joelhos e cotovelos;
  • Psoríase Invertida: lesões mais úmidas, localizadas em áreas de dobras como couro cabeludo, joelhos e cotovelos;
  • Psoríase Gutata: pequenas lesões localizadas, em forma de gotas, associadas a processos infecciosos. Geralmente, aparecem no tronco, braços e coxas (bem próximas aos ombros e quadril) e ocorrem com maior freqüência em crianças e adultos jovens;
  • Psoríase Eritrodérmica: lesões generalizadas em 75% ou mais do corpo;
  • Psoríase Ungueal: surgem depressões puntiformes ou manchas amareladas principalmente nas unhas das mãos;
  • Psoríase Artropática: em cerca de 8% dos casos, pode estar associada a comprometimento articular. Surge de repente com dor nas pontas dos dedos das mãos e dos pés ou nas grandes articulações como a do joelho;
  • Psoríase Pustulosa: aparecem lesões com pus nos pés e nas mãos (forma localizada) ou espalhadas pelo corpo;
  • Psoríase Palmo-Plantar: as lesões aparecem como fissuras nas palmas das mãos e solas dos pés

Artrite psoriásica

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, cerca de 10% a 20% dos pacientes com psoríase podem apresentar a artrite psoriásica. Na grande maioria das vezes, a doença se inicia na pele e somente após vários anos pode ocorrer a inflamação das articulações, que provoca dores e outros sinais, como inchaço, vermelhidão e calor local. É mais frequente nas mãos e nos pés, mas pode surgir em qualquer parte do corpo

IMPORTANTE: Somente médicos e cirurgiões-dentistas devidamente habilitados podem diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis em Dicas em Saúde possuem apenas caráter educativo.

Fonte: BBC Brasil e Blog da Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *