Alerta para risco de leptospirose no período de chuvas

Solicite a revalidação do Bilhete Único Escolar pela internet
fevereiro 12, 2019
Conheça mais sobre a Fazenda Municipal
fevereiro 14, 2019

Alerta para risco de leptospirose no período de chuvas

A doença é transmitida pela urina de animais infectados, como ratos e camundongos, mais frequentemente através do contato indireto com água contaminada pela bactéria. Assim o período de chuvas, que geralmente se concentra entre dezembro e março, e as consequentes inundações que podem ocorrer, propiciam a disseminação e facilitam a ocorrência de casos.

A leptospirose é uma doença infecciosa febril, apresentando de quadros leves até formas mais graves, que podem provocar a morte. É causada por uma bactéria do gênero Leptospira, presente na urina de roedores. A contaminação acontece pela exposição direta à urina de animais infectados, ou, de forma mais frequente, através do contato indireto, com água contaminada pela bactéria, que penetra através da pele lesionada ou até da pele integra, imersa por longos períodos em água contaminada. Há ainda a possibilidade de contaminação através das mucosas.

Sintomas

Os sintomas aparecem, em geral, de cinco a 14 dias após o contato com a urina ou a água contaminada, mas podem ocorrer até um mês depois. Os principais indícios são febre, cefaleia (dor de cabeça), mialgia (dor no corpo) principalmente na panturrilha, náuseas e vômitos. Nas formas mais graves, pode ocorrer icterícia (olhos e pele amarelados) e sangramentos.

Em caso de suspeita, o paciente deve procurar a unidade de saúde mais próxima para a avaliação médica e o tratamento correto. É importante que, durante a consulta, informe ao médico que teve contato com enchente ou outra situação de risco para leptospirose.

Prevenção

  • Lave bem as mãos antes de preparar os alimentos;
  • Não utilize água de poço (a não ser para lavar o quintal/calçadas);
  • Beba sempre água potável, fervida ou com adição de cloro e a utilize para preparo de alimentos, principalmente de crianças menores de um ano;
  • Guarde os alimentos em recipientes bem fechados;
  • Utilize apenas os enlatados cujas embalagens não apresentem amassamentos, pontos de ferrugem ou sinais de danos;
  • Em caso de hortas que sofreram inundação, não utilize esses produtos;
  • Descarte medicamentos e alimentos que entraram em contato com lama ou água de enchente, mesmo aqueles embalados com plástico ou que não foram abertos;
  • Caso seja portador de doenças crônicas, solicite em sua unidade de saúde novos medicamentos de uso contínuo;
  • Descarte tábuas de madeira, chupetas e mamadeiras;
  • Jogue fora alimentos (rações) de animais domésticos;
  • Retire, acondicione e descarte o lixo adequadamente;
  • Aloje animais domésticos em local seguro, para evitar contato com águas de enchente.

Limpeza do domicílio apos a enchente

  • Limpe as áreas e materiais que entraram em contato com água de enchente. Antes de começar a limpeza, coloque calças compridas, botas e luvas. Se não tiver botas ou luvas, coloque em cada mão e em cada pé dois sacos plásticos amarrados para evitar o contato da pele com a água contaminada;
  • Esvazie a caixa d’água, caso ela tenha sido invadida pela água. Esfregue suas paredes com escova e pano limpo. Coloque um litro de água sanitária para cada mil litros de água. Deixe por um período de duas horas e esvazie;
  • Lave pisos, paredes, bancadas e quintal com água e sabão. Desinfete, em seguida, com água sanitária na proporção de 400 ml para um balde com 20 litros de água limpa, deixando agir por 30 minutos.

Fonte: Prefeitura de São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *