ESPECIAL FEVEREIRO ROXO: LÚPUS

134 ANOS: ANIVERSÁRIO DE PIRITUBA
fevereiro 1, 2019
Novas oportunidades de trabalho nos CATes
fevereiro 4, 2019

ESPECIAL FEVEREIRO ROXO: LÚPUS

Fonte de imagem: Royal Queen Seeds.

O Lúpus é uma doença crônica e autoimune que ataca e destrói as células saudáveis de defesa de nosso organismo. A pessoa com Lúpus começa a produzir anticorpos autodestrutivos que, por engano, destroem estas células de defesa e provocam um desequilíbrio de seu mecanismo. De acordo com a Sociedade Brasileira de Reumatologia, no Brasil o número estimado de pessoas com Lúpus é de 65.000.

Tipos

Lúpus discoide (ou cutâneo)

A inflamação é sempre limitada à pele. Este tipo pode ser identificado a partir do surgimento de lesões cutâneas avermelhadas que costumam aparecer no rosto, na nuca ou couro cabeludo.

Lúpus eritematoso sistêmico

O lúpus sistêmico é a forma mais comum, podendo ser grave ou leve. A inflamação ocorre no organismo, comprometendo vários órgãos, não sendo restrito à pele. Algumas pessoas com lúpus discoide podem evoluir para a forma sistêmica. Os sintomas causados por este tipo da doença dependem do local da inflamação que pode ser: coração, rins, pulmões e até ao sangue, além das lesões cutâneas e às articulações.

Lúpus induzido por drogas

Algumas drogas ou medicamentos podem provocar uma inflamação temporária durante seu uso e assim provocar sintomas que são muito parecidos com os do lúpus sistêmico.

Lúpus neonatal

O lúpus neonatal é uma condição rara que afeta filhos de mulheres com lúpus, sendo causada por anticorpos da mãe que atuam sobre a criança no útero. Ao nascer, a criança pode ter uma erupção cutânea, problemas no fígado ou baixa contagem de células sanguíneas. Alguns bebês com lúpus neonatal também podem ter um defeito cardíaco grave. Com testes adequados, os médicos agora podem identificar a maioria das mães em risco, e a criança pode ser tratada antes ou depois do nascimento.

Causas

Fatores genéticos, hormonais e também ambientais (como a exposição ao sol).

Sintomas

Dores nas articulações;
Febre;
Queda de cabelo;
Perda de peso;
Falta de apetite;
Manchas avermelhadas, especialmente em rosto, pescoço, peito e cotovelos;
Feridas na boca;
Inchaço e vermelhidão ao redor das unhas;
Dor de cabeça;
Dor ao respirar;
Alteração de humor;
Diminuição da urina;
Pressão alta;
Em casos graves, convulsões.

Fatores de risco

  • Alta exposição aos raios ultravioletas
  • Usos de contraceptivos orais
  • Histórico familiar

Diagnóstico

Junção de vários exames como: Exame físico, exames de anticorpos (incluindo teste de anticorpos antinucleares), hemograma completo, radiografia do tórax, biópsia renal e exame de urina.

Tratamento

O Lúpus não tem cura, mas é tratável. Ele varia de acordo com os sintomas manifestados pelo paciente e pelo aconselhamento do médico ou especialista que está acompanhando o quadro do paciente.

Fonte: Prefeitura de São Paulo, Abril – Saúde, Ativo Saúde, Minha Saúde, Ministério da Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *