O Dia D de Combate às Arboviroses

Prefeitura e SIURB iniciam o cronograma de análise técnica em mais 39 pontes, viadutos e passarelas
janeiro 31, 2019
134 ANOS: ANIVERSÁRIO DE PIRITUBA
fevereiro 1, 2019

O Dia D de Combate às Arboviroses

Amanhã (02) é o Dia D de Combate às Arboviroses (dengue, zika, chikungunya e febre amarela). A iniciativa contará com a atuação de mais de 100 militares de unidades do Comando Militar Sudeste e uma força-tarefa composta por 14 mil profissionais da saúde.

O dia D terá ainda uma força-tarefa composta por 14 mil profissionais da saúde que atuarão em diversas frentes. A intensificação da vacinação contra a febre amarela vai ocorrer em Unidades Básicas de Saúde (UBS) e em ações extramuros, com postos volantes, em locais como praças, parques, shoppings e estações de trem e de metrô. Também será feita a busca para localizar pessoas que ainda não foram imunizadas, panfletagem com material educativo e inspeção em regiões vulneráveis para abrigo de criadouros do Aedes aegypti.

Clique aqui para saber os locais disponíveis próximo de sua residencia para se vacinar.

Sobre o mosquito

O Aedes aegypti é o mosquito transmissor da dengue e da febre amarela urbana. Menor do que os mosquitos comuns, é preto com listras brancas no tronco, na cabeça e nas pernas. Suas asas são translúcidas e o ruído que produzem é praticamente inaudível ao ser humano.

O macho, como de qualquer espécie, alimenta-se exclusivamente de frutas. A fêmea, no entanto, necessita de sangue para o amaduremento dos ovos que são depositados separadamente nas paredes internas dos objetos, próximos a superfícies de água limpa, local que lhes oferece melhores condições de sobrevivência. No momento da postura são brancos, mas logo se tornam negros e brilhantes.

Põe seus ovos em recipientes como latas e garrafas vazias, pneus, calhas, caixas d’água descobertas, pratos sob vasos de plantas ou qualquer outro objeto que possa armazenar água da chuva. O mosquito pode procurar ainda criadouro naturais, como bromélias, bambus e buracos em árvores.

As fêmeas preferem o sangue humano como fonte de proteína ao de qualquer outro animal vertebrado. Atacam de manhãzinha ou ao entardecer. Sua saliva possui uma substância anestésica, que torna quase indolor a picada. Tanto a fêmea quanto os machos abrigam-se dentro das casas ou nos terrenos ao redor.

Fonte: Prefeitura de São Paulo e Secretaria do Estado da Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *