Serviços de segurança para os cidadãos

Alerta para riscos à saúde decorrentes de enchentes
dezembro 20, 2018
JANEIRO ROXO: TODOS CONTRA A HANSENÍASE
dezembro 20, 2018

Serviços de segurança para os cidadãos

Operação Chuvas de Verão

A operação é um plano da Prefeitura, coordenado pela Defesa Civil, cujo objetivo é reunir recursos de órgãos e secretarias municipais, procurando realizar ações de caráter preventivo, de socorro, assistencial e recuperativo. O plano vigora de novembro a abril de cada ano ou sempre que houver necessidade.

Desse modo, a cidade se organiza para as ocorrências do período intenso de chuvas, como inundações e deslizamentos de encostas, evitando e/ou minimizando os danos causados.

A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec) trabalha de forma integrada com a Secretaria Municipal de Coordenação das Subprefeituras, Secretaria Municipal dos Transportes, Secretaria de Infraestrutura Urbana, Secretaria Municipal de Assistência Social e a Secretaria da Habitação e Desenvolvimento Urbano. Esses órgãos, em suas áreas de atuação, realizam operações de desobstrução de bueiros e limpeza de ruas, transporte e alojamento de desabrigados, acampamentos e abrigos de emergência, suprimentos para desabrigados e assistência social a vítimas de emergência.

Proteção às Pessoas em Situação de Risco

O Programa de Proteção a Pessoas em Situação de Risco tem como foco o apoio aos agentes públicos que fazem o encaminhamento dessas pessoas e no monitoramento e solicitação de encaminhamento pela Central de Monitoramento/GCM à CAPE (Central de Atendimento Permanente de Emergência).

Tem por finalidade planejar e criar mecanismos de ações preventivas integradas à Rede de Proteção Social, formada pelas secretarias: SMSU – Secretaria Municipal de Segurança Urbana, SMADS – Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, SMS – Secretaria Municipal de Saúde, SMPP – Secretaria Municipal de Participação e Parceria e o Conselho Comunitário de Segurança (CONSEGs).

Violência contra a mulher – denúncia 

Os serviços listados são responsáveis pelo recebimento, encaminhamento e monitoramento de denúncias de violência contra mulher.
A violência contra mulher pode se manifestar em diversos âmbitos; de acordo com a Lei Maria da Penha existem ao menos cinco tipos: a violência psicológica, moral, sexual, patrimonial e a violência física. Tratando-se de violência doméstica, existe um ciclo difícil de romper e que normalmente é dividido em três etapas:

  • Período de tensão: ofensas verbais;
  • Tensão aguda: agressões físicas, sexuais e diversos abusos;
  • Arrependimento e promessas de mudança não cumpridas.

A mulher acredita, diversas vezes, que a agressão não irá se repetir e, dessa forma, acaba sendo agredida repetidas vezes. e é essa a função desse serviço: quebrar o ciclo de violência contra a mulher, para que ela possa ter uma vida saudável e livre da violência.

Serviços

Ligue 180 ou Portal de Atendimento 156;

Descomplica SP São Miguel: Rua Dona Ana Flora Pinheiro de Sousa, 76 – Vila Jacuí – De segunda a sexta-feira, das 08h às 17h.

Ouvidoria de Direitos Humanos: Rua Dr. Falcão Filho, 99 – Centro
Horário de atendimento: de segunda à sexta-feira, das 10h00 às 16h00
Telefone: (11) 3113-8993/8994

Denúncia de casos de racismo e homofobia

Os serviços são responsáveis pelo recebimento, encaminhamento e monitoramento de toda e qualquer denúncia que tenha o viés da intolerância racial e de violação de direitos, agressões físicas e verbais contra LGBTI, e atendimento especializado à pessoa que sofreu a violação.

Serviços

SOS RACISMO – ALESP
Endereço: Palácio 9 de Julho, Sala S03. Sede da Assembleia Legislativa de São Paulo.
Telefone/ Disque Denúncia: 0800-77-33-886

DECRADI – Delegacia de Polícia de Repressão aos Crimes Raciais e Delitos de Intolerância.
Endereço: Rua Brigadeiro Tobias, n° 527, 3° Luz, São Paulo – SP
Telefone: (11) 3311- 3555
E-mail: decradi@policiacivil. sp.gov.br

Coordenação de Políticas para População Negra e Indígena da Secretaria de Justiça e da Defesa da Cidadania.
Endereço: Pátio do Colégio, 148, Centro – São Paulo
Telefone: (11) 3105-9199 I 3291-2622

Núcleo especializado de Combate a Discriminação, Racismo e Preconceito da Defensoria Pública do Estado de São Paulo
Rua Boa Vista, 103 – 7º andar – Centro – São Paulo
Telefone: (11) 3105-5799
E-mail: núcleo.discriminacao@dpesp.sp.gov.br
Site: www.defensoria.sp.gov.br/dpesp/

Ouvidoria de Direitos Humanos
Rua Dr. Falcão Filho, 99 – Centro
Telefone: (11) 3113-8993/8994
Horário de atendimento: de segunda à sexta-feira, das 10h00 às 16h00

Centro de Cidadania LGBTI Luiz Carlos Ruas (Centro)
Rua Visconde de Ouro Preto, 118 – Consolação
Telefone: (11) 3115-2616
E-mail: centrodecidadanialgbt@prefeitura.sp.gov.br
Horário de funcionamento: de segunda à sexta-feira, das 9h00 às 18h00

Centro de Cidadania LGBTI Luana Barbosa dos Reis (Zona Norte)
Rua Plínio Pasqui, 186 – Parada Inglesa
Telefone: (11) 2924-5225
E-mail: centrolgbtnorte@prefeitura.sp.gov.br
Horário de funcionamento: de segunda à sexta-feira, das 9h00 às 18h00

Acidentes domésticos

  • Nenhum medicamento deve ser tomado sem orientação médica e deve ser guardado em lugares seguros;
  • As escadas devem possuir corrimão e o piso não deve ser liso. Procure colocar protetores e barreiras em todos os acessos da casa que levem à escada, quando tiver crianças na residência;
  • Nos apartamentos devem ser colocadas grades ou redes de proteção nas janelas e sacadas;
  • As crianças nunca devem ser deixadas sozinhas perto de piscinas ou qualquer lugar da casa que ofereça risco a elas;
  • As crianças devem ser mantidas longe das cozinhas, pois não têm medo de fogo. Por isso nunca deixe as panelas com os cabos virados para fora do fogão. Verifique sempre os botões do fogão e se as mangueiras do gás estão em ordem;
  • Produtos químicos e materiais de limpeza, que são altamente tóxicos e, muitas vezes inflamáveis, devem ser deixados em local de difícil acesso para crianças e animais. A ingestão de certos produtos pode ser fatal;
  • Para evitar choques e outros acidentes utilize sempre protetores especiais para tomadas;
  • Mantenha facas, tesouras, chaves-de-fenda e outros objetos cortantes em locais fechados, onde crianças não tenham acesso;
  • Nunca deixe o ferro de passar roupa ligado. Além da alta temperatura, apresenta perigo por seu peso e eletricidade.
  • Crianças não são capazes de avaliar o perigo. Adultos devem ficar atentos a pequenos objetos como moedas, tampinhas de garrafas, clips, botões e até brinquedos que possuam peças pequenas e que se soltam com facilidade e possam causar engasgos e sufocamento.

Botijão de gás

  • Manusear botijões de gás com cuidado, evitando que caiam ou sofram pancadas;
  • Os botijões devem ser guardados em locais limpos, ventilados, livres de óleo e graxa, protegidos contra chuva, sol, e outras fontes de calor;
  • Botijões de gás domésticos não devem ficar juntos do fogão. Precisam estar fora da casa e conectados com tubulações metálicas;
  • Caso o gás esteja instalado dentro de casa e ele vier a vazar, não risque fósforo e não acenda ou apague luzes. Chame os bombeiros (193) e se possível retire o botijão da sua casa. Abra as portas e janelas, corte a energia no relógio e fique longe do local onde o gás está vazando;
  • Ao instalar um novo botijão use espuma de sabão para testar se há vazamentos;
  • Jamais use fogo para tal propósito, mas lembre-se: o sabão não deve ser usado para vedar vazamentos;
  • Ao acender um forno de fogão, riscar primeiro o fósforo e abrir o gás depois;
  • Se a casa ficar desocupada por um período prolongado, feche o registro de gás.

Como proceder em caso de emergências

Vazamento sem fogo:

  • Feche o registro de gás;
  • Afaste as pessoas do local;
  • Não acione interruptores de eletricidade;
  • Desligue a chave geral de eletricidade somente se ela estiver fora da residência;
  • Não fume nem acenda fósforos ou isqueiros;
  • Se ocorrer em ambiente fechado, abra portas e janelas;
  • Entre em contato com a empresa distribuidora de gás e, em casos mais graves, com o Corpo de Bombeiros (193).

Vazamento com fogo:

  • Se possível, feche o registro de gás;
  • Afaste as pessoas do local;
  • Desligue a chave geral da eletricidade;
  • Retire do local os materiais combustíveis que puder;
  • Chame o Corpo de Bombeiros (193) e a Defesa Civil (199).

Produtos químicos

Não se aproximar do local e orientar os demais para que também não o façam. Havendo absoluta necessidade de uma aproximação, como para o socorro de vítimas, observar o seguinte:

  • Aproximar-se do local com o vento pelas costas;
  • Permanecer no local o tempo necessário, exclusivamente, para o socorro das vítimas;
  • Evitar inalar gases, fumaça ou vapores, mesmo que não haja envolvimento de produtos químicos perigosos;
  • Não pisar nem tocar em qualquer material derramado.

Cuidados com balões  

Em defesa do meio ambiente, a Lei 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, trata dos crimes contra a flora e estabelece que: Fabricar, vender, transportar ou soltar balões que possam provocar incêndios nas florestas e demais formas de vegetação, em áreas urbanas ou qualquer tipo de assentamento humano é crime. A pena vai desde multa até detenção de um a três anos, ou ambas as penas cumulativamente.

Riscos ao soltar balões

  • Florestas e matas não escapam da destruição causada pelos balões, problema esse que é agravado pela baixa umidade do ar, no outono, que coincide com o aumento das atividades baloeiras, motivado pelas festas juninas;
  • Manipular balões pode causar queimaduras, que variam em três graus: no primeiro, os sintomas são dor e vermelhidão; no segundo, vermelhidão e a presença de bolhas; e, no terceiro, bolhas, vermelhidão e queimadura dos tecidos da pele, musculatura e perfuração dos ossos;
  • O Corpo de Bombeiros orienta que não sejam removidas as bolhas, nem utilizado qualquer produto, como pasta de dente, café, cremes, entre outros. É importante também que não sejam retiradas as roupas que forem queimadas. O conselho é para colocar o ferimento em água corrente, retirar todos os objetos de metal, como anel, pulseira, brincos, correntes e procurar ajuda médica;
  • Os balões também representam risco de colisão com aeronaves. Cálculos matemáticos mostram que uma aeronave na aproximação, com 277,800 km/ hora, ao colidir com um balão de 10 quilos, sofrerá uma força de 2,56 toneladas. A situação é agravada com o aumento da velocidade da aeronave e do peso do balão;
  • Em caso de emergência ligue para o 199 Defesa Civil ou 193 Corpo de Bombeiros.

Fonte: Prefeitura de São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *