Semana de combate às hepatites virais

Aulas gratuitas de capacitação profissional
julho 23, 2018
O Fab Lab Livre SP oferece 80 cursos gratuitos
julho 25, 2018

Semana de combate às hepatites virais

Nesta segunda-feira (23) iniciou a semana de combate às hepatites virais. Até o dia 27, os serviços de saúde irão se intensificar em suas unidades que estarão voltadas para esclarecimentos sobre a doença com rodas de conversa, discussões e palestras. Além disso, haverá o oferecimento de testes para diagnóstico e a vacinação para Hepatite B.

Sobre a hepatite

A Hepatite se dá por meio de uma infecção do fígado e pode ser ocasionada pelo uso excessivo de consumo de álcool, medicamentos ou por doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. Quando causada por vírus recebe o nome de Hepatite Viral, que pode se manifestar nos tipos A, B, C, D e E. Os maiores casos são de hepatite B e C. Elas são divididas em dois grupos:

Hepatite A e E: São transmitidas de forma fecal/oral, por meio de aguá e alimentos contaminados. A grande causa do contagio são as precárias condições do saneamento básico.

Hepatite B e C: Podem ser transmitidas através do sangue (transfusão de sangue, procedimentos cirúrgicos ou odontológicos, compartilhamento de material contaminado no uso de drogas, aparelhos de barbear, aplicação de tatuagens e piercings); mãe portadora da hepatite B ou C, principalmente na gestação e por contato sexual.

A hepatite A costuma ser benigna, não causando sequelas em seus estágios. Mas as hepatites B e C são doenças silenciosas, não apresentando sintomas na maior parte dos casos. Também podem não curar após a fase aguda, evoluindo para doença crônica.

Sintomas 

Os principais sintomas são: febre; icterícia (pele e os olhos amarelos); náuseas e vômito; mal-estar; desconforto abdominal; falta de apetite; urina cor de laranja escuro e fezes esbranquiçadas.

Formas de prevenção 

Hepatite B: A vacina está disponível nos postos de saúde. Todas as gestantes antes de tomar a vacina farão uma coleta de sangue para sorologia. Caso a documentação de vacinação esteja incompleto, deve-se completar o esquema já iniciado. Todos os recém-nascidos devem tomar a vacina até as 24h de vida. A imunização só é efetivada após a aplicação de todas as doses. Para as crianças que receberam a 1° dose na maternidade e as pessoas que já iniciaram o esquema, resta apenas três doses. Além disso, é importante usar camisinhas ao realizar a relação sexual e não compartilhar objetos de uso pessoal (como escovas de dente, alicate de cutícula e lamina de barbear) e realizar tatuagens ou colocação de piercings em locais confiáveis.

Hepatite C: Não existe vacina. Contudo, pode ser prevenida com o não compartilhamento de seringas, agulhas e objetos cortantes (como alicate de cutícula, lamina de barbear, etc) com outras pessoas e ao usar camisinha em todas as relações sexuais. No SUS estão disponíveis drogas efetivas para o tratamento da hepatite C. Por isso, é de extrema importância a identificação dos portadores, impedindo a evolução para formas mais graves da doença.

Fonte: Prefeitura de São Paulo e Ministério da Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *