A importância da vacinação contra o sarampo

Funcionamento de serviços públicos durante o jogo do Brasil e no feriado
julho 5, 2018
Atividades gratuitas nos parques municipais
julho 10, 2018

A importância da vacinação contra o sarampo

Sobre o sarampo

É uma doença  infecciosa aguda, viral, transmissível e muito comum na infância. A sua contaminação é por meio das vias respiratórias. Os indivíduos expostos podem adquirir as infecções através de gotículas veiculadas por tosse ou espirro. O vírus se instala na mucosa do nariz e dos seios para se reproduzir e depois para ir para a corrente sanguínea. Seus maiores sintomas são: febre alta, mal estar, coriza, conjuntivite, tosse e falta de apetite. Nesse período podem ser observadas na face interna das bochechas as manchas brancas (Koplik) que são características da doença. O diagnóstico é clínico e deve ser confirmado por exame de sangue. O seu tratamento pode ser feito mediante a antitérmicos, hidratação oral, terapia nutricional com incentivo ao aleitamento materno e higiene adequada dos olhos, pele e vias aéreas superiores. A sua maior prevenção é a vacinação. Para mais informações, clique aqui.

A vacina

O melhor método de prevenção contra o sarampo, além de controle fundamental para o seu controle. O Brasil recebeu o registro de erradicação do sarampo pela Organização Mundial da Saúde em 2016. Porém, neste ano, novos casos foram confirmados no Norte do país por uma combinação de não-imunizados dos brasileiros e infecções vindas da Venezuela.

Quem pode tomar a vacina

Pessoas de todas as idades. Contudo, o Ministério da Saúde disponibiliza duas doses para os indivíduos entre 12 meses e 29 anos. Na rede pública, também é possível a vacinação gratuita até os 49 anos (nesse caso, uma dose é administrada). As duas doses são únicas.

Quem não pode tomar a vacina

Gestantes, casos suspeitos de sarampo, crianças menores de seis meses de idade e pessoas imunocomprometidas (com doenças que abalam fortemente o sistema imune).

Tenho dúvidas se me vacinei

Mesmo que existam dúvidas, é válido tomar a vacina.

Vacinação contra febre amarela

Desde segunda-feira (2) o Prefeitura por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), intensificará a vacinação contra a febre amarela no estado de São Paulo. O objetivo é estimular a  procura por parte do público que ainda não tomou a dose durante o período de campanha. Para receber a vacina na capital é preciso levar documento de identificação e, se possível, carteira de vacinação e cartão SUS. Para saber qual a unidade básica de saúde de referência de seu endereço, basta consultar o Busca Saúde. A lista com os endereços e os horários de atendimento pode ser acessada neste link.

É importante lembrar que a vacina contra a febre amarela não é indicada para: crianças menores de nove meses de idade; gestantes; mulheres amamentando crianças com até seis meses e pacientes com imunodepressão de qualquer natureza, como neoplasia (câncer), HIV, tratamento com drogas imunossupressoras (corticosteroides, quimioterapia, radioterapia, imunomoduladores) e pessoas submetidas a transplante de órgãos. Em caso de dúvida, é importante consultar a equipe de saúde da UBS ou seu médico antes de se vacinar.

Fonte: Sociedade Brasileira de Imunizações e Prefeitura de São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *